Sem imagem

Ficção Científica

Aborto Elétrico

324 exibições
(Renato Russo)


Hoje a noite Flash Gordon 
Vai tentar ser Barbarella 
Para ver se aprisiona Albert Einstein 
Que criou o elixir da longa vida 
Ainda vive 
E tenta criar uma nova bomba H 
Um eclipse destruiu o sol 
Que queria ser Apolo 
Sem o mito só o fogo queima o chão 
Julio Verne matou Galileu 
E Saturno os seus filhos 
Sangue puro a essência canibal 
Sonhos mortos, sonhos tortos 
Sempre vejo minha morte 
Tanto faz, não existem mais heróis 
Kryptonita no meu sangue 
Clorofórmio no banheiro 
E a dança é a mesma, não é ficção 
Revolução em selvas tropicais 
Raio laser mata índios 
Descoberta: O Novo Mundo envelheceu 
Como tentar ser selvagem 
Se não existe anarquia 
E a dança é a mesma, não é ficção 
Muita fome nas estrelas 
Muita fome nas estrelas 
Muita fome nas estrelas
E aqui também



FALOU


--------------------------------------------------------------------------------
Renato Russo)
Tom: F# 
Intro: (riff intro) 2 vezes
       C#5 B5 E5 F#5 E5 B5
       (riff intro) 2 vezes 

   F#5  G#5  F#5  G#5  F#5  G#5
e|------------------------------|
B|------------------------------|
G|------------------------------| riff 
D|-4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6-| intro
A|-4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6-|
E|-2/4--4-4--2/4--4-4--2/4--4-4-|

   F#5  G#5  F#5  G#5  F#5  G#5  F#5  G#5
e|----------------------------------------|
B|----------------------------------------|
G|----------------------------------------|  
D|-4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6-| riff
A|-4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6--4/6--6-6-|
E|-2/4--4-4--2/4--4-4--2/4--4-4--2/4--4-4-|

C#5            B5            E5              F#5
   Hoje à noite  Flash Gordon  vai tentar ser   Barbarella 
E5            B5       riff 
  para ver se aprisiona  o Albert Eistein,
C#5            B5         E5
   quem criou o  elixir da  longa vida,
F#5          E5                B5      riff 
   ainda vive  e tenta criar uma nova bomba H
C#5          B5              E5          F#5
   Um eclipse  destruiu o Sol, que queria   ser Apolo
E5             B5         riff  
  Sem o mito, só o fogo queima o chão

C#5 B5 E5 F#5 E5 B5 riff

C#5           B5             E5         F#5
   Julio Verne  matou Galileu  e Saturno,  os seus filhos
E5              B5          riff   
  Sangue puro é a essência canibal
C#5             B5
   Sonhos mortos, sonhos tortos
E5           F#5
  Sempre vejo   a minha morte
E5         B5             riff
  Tanto faz, não existem mais heróis
C#5          B5             E5           F#5   
   Kriptonita  no meu sangue, clorofórmio   no banheiro
E5          B5             riff
  E a dança é a mesma, não é ficção

Solo: (F#5 A5 B5 C#5) 2 vezes
      (D5 B5) 4 vezes
      (F#5 A5 B5 C#5) 2 vezes
      (D5 B5) 3 vezes  D5 C#5

   F#5    A5     B5   C#5             D5      B5 D5      B5 D5      B5 D5      B5
e|--------------------------|       |--------------------------------------------|
B|--------------------------|       |-3-2--------3-2--------3-2--------3-2-------|
G|--------2--------2--------| 2     |-----4-2-4------4-2-4------4-2-4------4-2-4-|
D|-4--2-4----4-2-4----4-2-4-| vezes |--------------------------------------------|
A|--------------------------|       |--------------------------------------------|
E|--------------------------|       |--------------------------------------------|

   F#5    A5     B5   C#5             D5      B5 D5      B5 D5         B5  D5         C#5
e|--------------------------|       |-----------------------10-9-----------10-9-------9--|
B|--------------------------|       |-3-2--------3-2-------------12-10-12-------12-10----|
G|--------2--------2--------| 2     |-----4-2-4------4-2-4-------------------------------|
D|-4--2-4----4-2-4----4-2-4-| vezes |----------------------------------------------------|
A|--------------------------|       |----------------------------------------------------|
E|--------------------------|       |----------------------------------------------------|

C#5         B5                   E5          F#5
   Revolução  em selvas tropicais, raio laser   mata índios
E5               B5           riff
  Descoberta: o novo mundo envelheceu
C#5           B5            E5             F#5
   Como tentar  ser selvagem  se não existe   anarquia?
E5          B5             riff
  E a dança é a mesma, não é ficção
C#5          B5            E5          F#5   
   Muita fome  nas estrelas, muita fome   nas estrelas
E5            B5         riff
  Muita fome nas estrelas  e aqui tambem


Enviada por Sem inscrição
Nº de acordes: 8